4 de abr de 2011

A dificuldade do vento

Se ontem a grande dificuldade que os atletas encontraram foram as dunas, hoje, com um terreno bastante mais rolante, a principal dificuldade foi o vento. De manhã quando os atletas acordavam do seu bivouac já o vento fazia das suas. Com velocidades na casa dos 30 km's/h, o vento trazia a areia que fustigava as pernas dos atletas, elemento extra de dificuldade, mas que, no fundo, é o elemento principal no cartão de visitas: Sable!

Amanhã Carlos Sá terá mais uma etapa de 38 km's onde se espera que possa continuar no seu ritmo. Sem expectactivas desmesuradas pela noção das circunstâncias de uma prova com estas características, espera-se que pelo menos consiga manter o seu lugar antes do ataque à etapa raínha. Seguramnte os seus 82 km's farão mossa aos atletas, e criaram a grande selecção que permitirá começar a dar uma melhor noção de como poderá ser o desfecho final, se bem que, até ao último centímetro, há muita grão de areia a percorrer... 
Carlos Sá tem mostrado estar mais talhado para longas distâncias, e para desafios mais duros..., e a prova ainda nem a meio vai...

Um comentário:

  1. Qualquer que seja a classificação, a grande vitória é estar lá e terminar é um prémio para todos os que estamos a torcer pelo Carlos e para ele também, obviamente!

    ResponderExcluir