6 de out de 2010

Carlos Sá, o campeão das montanhas

Quando se fala nas modalidades ditas amadoras, mais concretamente no Atletismo, vem à memória de muitos portugueses o nome de Naide Gomes, Nelson Évora, Rui Silva, entre outros.
No entanto, a todos estes nomes devíamos juntar Carlos Sá, pois trata-se de um atleta de créditos firmados e vencedor de muitas provas ultra-montanha.
Apesar de ser um dos melhores atletas portugueses, Sá não é conhecido, não só pela pouca exposição mediática que as provas de ultra-montanha têm em Portugal, mas também pelo facto do atleta fugir do marketing pessoal como o diabo foge da cruz.
Carlos Sá é muito tímido e a única exposição mediática que tem é a sua página na famosa rede social Facebook.
Mas então, porque é que Carlos Sá é um dos melhores atletas portugueses? Que resultados relevantes tem?
O atleta barcelense venceu recentemente o Grand Raid des Pyrénées, prova ultra-montanha de 160 Km, com desníveis acumulados de 20 mil metros. Concluiu a prova em cerca de 26 horas, com uma vantagem de 20 minutos sobre o 2º classificado e os pés completamente ensanguentados, que mais pareciam “cepos”, como o próprio referiu.
Poucos dias depois desta prova, Carlos Sá ganhou a Maratona Penedos do Lobo, batendo o recorde do circuito montanhoso.
As próximas metas são a participação nas provas Caminhada de Santiago (200 Km entre Barcelos e Santiago de Compostela) e na Marathon des Sables (250 Km no meio do Deserto do Sara).
Mas o que leva um homem a participar em provas que não são nada mediáticas e que ainda por cima são tão duras?
Como dissemos atrás, Carlos Sá não tem (nem quer ter) nenhuma exposição mediática; no entanto, preocupa-se com a sua saúde e com a segurança e conforto no seu trabalho numa empresa de limpezas verticais.
Tudo começou em 1999, quando o alpinista João Garcia foi dar uma palestra na sede dos Amigos da Montanha, da qual Carlos é sócio.
Como pesava cerca de 92 Kg e levava uma vida sedentária, as palavras do alpinista fizeram um “clique” na cabeça de Carlos, que aproveitou a força de vontade de Garcia para mudar radicalmente o seu estilo de vida.
A corrida passou a fazer parte da sua vida, mas apenas por lazer, já que não tem um espírito competitivo, apesar de participar e ganhar provas de competição pura e dura.
Para participar nas provas ultra-montanha, Carlos tem de usar todo o seu magro salário (cerca de 700 euros) e os prémios monetários que tem ganho, pois as inscrições são bastante caras (podem atingir os 4000 euros) e os patrocínios são poucos, ou melhor, tem apenas um patrocinador, que lhe fornece calçado desportivo.
No entanto, é a essas adversidades que Carlos vai buscar a força, a motivação e a coragem para participar nas competições que se desenrolam na montanha, já que esta “é uma boa confidente, com quem se pode gritar quando as dores são muito fortes”.
Carlos Sá tem 36 anos, é casado, pai de dois filhos e antes de praticar atletismo montanhoso, testou o BTT e o Alpinismo, tendo participado numa expedição, liderada por João Garcia, que passou pelas 4 montanhas mais altas do Peru. 

2 comentários:

  1. passa no meu blogue e comenta. meu blogue é http://coisinhasdaavonsandra.blogs.sapo.pt beijinhos e uma santa sexta-feira!!

    ResponderExcluir
  2. Caro amigo Carlos Sá, obrigado pela visita que fizeste ao meu blog e pelas palavras simpáticas que lá deixaste.
    Como já deves ter reparado sou um grande admirador das tuas qualidades como atleta, fiz questão de apresentar o Calendário Mundial de Maratonas e Meias-Maratonas ilustrado com a tua foto aí de um Trail qualquer, está ali na barra do lado direito.
    Também gostei muito de ler esta tua pequena (mas de grande significado)biografia, bem como a coragem já programada de algumas provas que sendo um mito são também reveladoras de tua grande capacidade, no valor e no sofrimento.
    Por último direi que tive muita pena de não estar na tua prova no passado dia 3 de Outubro. Não direi que quero lá estar para o Ano, direi sim que pelo menos não façam coincidir algumas provas de grande valor, nomeadamente os trailers e provas de montanha, deixando-nos a nós que corremos a opção de escolha sem qualquer impedimento.
    Um abraço e bons sucessos.

    ResponderExcluir